FESTAS DE PARATY

Nos dias de procissão em Paraty, de longe se escuta o foguetório e o som da banda se aproximando. Os moradores, prontamente, vão saindo de suas casas e comércios para ver os fiéis desfilarem com suas bandeiras, cheios de devoção e promessas. O andor vem apinhado de flores, trazendo a imagem do sagrado, enquanto os padres entoam as ladainhas. Toda a cena é perfumada pela fumaça exalada pelos incensários, que balançam como um pêndulo nas mãos do coroinha. Essa imagem é uma vívida lembrança na memória de muitos paratienses, que mesmo acostumados a ver ou acompanhar essas celebrações desde criança, ainda ficam imóveis perante tamanha manifestação de fé.


As festas religiosas de Paraty unem zona urbana, rural e costeira em prol da comemoração de seus santos. Num espírito de cooperação e caridade, os paratienses põem em prática suas crenças. No gene desse povo há um histórico centenário de gente festeira e honrar essa herança o permite estar integrado à cidade e suas raízes.


Durante algumas celebrações, Paraty parece ter parado no tempo. O povo coroa imperadores, distribui carne e doces, entretêm a corte com danças folclóricas e, sem cair na monotonia, colore a cidade em tons distintos a cada época do ano, assim como fazem as estações.


No carnaval os moradores também percorrem as ruas de pedra, mas, dessa vez, em meio aos bonecos de papel machê. No mês de agosto cultuam outra sagrada tradição: a cachaça! Tendo alguns dos melhores alambiques do país, o povo celebra a aguardente como uma divindade por aqui. Entre religiosidade e folia, a cidade sempre encontra motivos para festejar.


A longevidade das festas de Paraty é como um tempero de família: a gente não passa a receita para ninguém e mesmo se entregássemos o passo a passo, ninguém faria igual. Dizem os historiadores que o isolamento sofrido pela cidade durante o século XIX, quando deixou de ser rota do comércio, foi a razão pela qual mantiveram-se preservados seus saberes e costumes. Mas, ouso dizer que nenhum livro pôde mensurar o tamanho da comoção e da fé desse povo. Como um legado passado de geração em geração, os paratienses mantém suas festas, seja por suas crenças inabaláveis ou por amor a cultura da gente que vive aqui.

Curadoria: Fernando Fernandes

Produção: Emanuel Gama

Assistentes de Produção: Priscilla Azevedo e Pamela Albrecht

Design: Leonardo Assis

Texto: Tayná Pádua

Fotos: Leonardo Assis

Pintura: Francisco Gama


Agradecimentos:

Diuner Mello

Vanda Maria Miranda

Edson José de Oliveira

Fernando Alcântara

Marcello Augusto de Alcântara

APACAP

Pinacoteca Marino Gouveia

Secretaria de Cultura de Paraty

Paróquia Nossa Senhora dos Remédios


Abertura: 10 de dezembro de 2019

Encerramento: 01 de março de 2020

Salão Nobre

ABERTURA DA EXPOSIÇÃO | 10/12/2019

FESTAS DE PARATY

O que são as festas de Paraty se não a emoção, a fé e a alegria da nossa gente estampadas pelas ruas durante alguns dias do ano? No dia 10 de dezembro a Casa da Cultura inaugurou sua última exposição de 2019 com o tempero desses três ingredientes essenciais. Foi uma noite de surpresas, sorrisos e lembranças, que despertaram memórias afetivas das tantas festas vividas por aqui.


Embalada pela alegria da Banda Santa Cecília, nossa “furiosa”, a exposição “Festas de Paraty” fechou um ano de lindas mostras na Casa com o brilho e as cores da cultura da nossa gente! Viva!!!

10 dez – 1 mar/2020 Salão Nobre Entrada Franca


Agradecimento: Cachaça Coqueiro

Fotos: Leonardo Assis


#vempracasadacultura#vempracasadacultura #casadaculturaparaty#casadaculturaparaty #fundaçaorobertomarinho#fundaçaorobertomarinho #grupoglobo#grupoglobo #prefeituradeparaty#prefeituradeparaty #culturasefazjunto#culturasefazjunto

200 visualizações
  • Ícone branco do Facebook
  • Ícone branco do Instagram
  • Branca ícone do YouTube

Contate-nos

© 2019 por Casa da Cultura de Paraty Câmara Torres
Todos os direitos reservados

Tel: +55 24 3371-2800

Email: faleconosco@casadaculturaparaty.org.br

Endereço

R. Dona Geralda, 194

Paraty - RJ - CEP: 23970-000