Banco de Publicações Acadêmicas: Monografias, Teses e Dissertações 

Com o intuito de difundir o acesso à pesquisas, conteúdos e estudos sobre Paraty, criamos um Banco Digital de Publicações para reunir Monografias, Teses e Dissertações, e trabalhos acadêmicos em geral, sobre a nossa cidade e consequentemente dar visibilidade aos temas e autores.

A seguir, você poderá acessar os materiais submetidos, são artigos relacionados às diversas áreas do conhecimento. 

E para você, que também é autor de algum artigo, monografia ou tese sobre a nossa cidade, clique aqui e inscreva seu trabalho acadêmico!

FRANCESCO, Ana Alves de. Este é o nosso lugar uma etnografia da territorialidade caiçara na Cajaíba. Universidade de Campinas 

(UNICAMP). Antropologia Social. 2013. 

Ficha técnica

Tipo: Dissertação de Mestrado Acadêmico

Área do conhecimento: Antropologia

 

Resumo: Esta dissertação é resultado do trabalho de campo realizado entre os anos de 2010 e 2012 na enseada da Cajaíba, zona costeira do município de Paraty (RJ). O foco principal do trabalho é a descrição das formas de interação entre as pessoas e o ambiente e o modo como esta interação configura uma territorialidade particular, que se dá tanto na terra como no mar. Buscando dialogar com diferentes definições de território e territorialidade, definidas no âmbito da antropologia, por meio da etnografia, o estudo versou sobre a memória da ocupação da terra, a percepção do ambiente e o saber técnico envolvido nos modos de fazer do cotidiano, por acreditar serem estas dimensões intrínsecas e constituintes da territorialidade de um grupo.

PINAUD, Rodrigo Zambrotti. Processos Naturais e Antrópicos de alteração da paisagem do município de Paraty, Brasil, 1965- 2020. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Programa de Pós Graduação em História Social (PPGHIS/UFRJ). Atena Editora, 2020. 

Ficha técnica

Tipo: Capítulo de Livro

Área do conhecimento: Ciências Humanas 

 

Resumo: O município de Paraty possuiu seu apogeu econômico nos séculos XVII e XVIII, através do seu Caminho do Ouro e dos plantios de cana de açúcar do Café. Pouco descrito, o impacto ambiental desses ciclos levou a degradação de praticamente toda a cobertura florestal do município, praticamente extinguindo a produção da sua famosa aguardente pela falta d’água para força motriz dos engenhos. A partir da década de 60 do século XX, iniciativas do governo brasileiro impactaram o município de Paraty, principalmente com a construção do trecho da Rodovia BR-101, descortinando um litoral de extrema beleza cênica, com ocupação humana de extrema baixa densidade, que foi impactado pelo processo de “Acumulação por Espoliação” que vigorou na região através de agentes de capital privado internacional com o beneplácito do governo militar à época, alterando a dinâmica das populações tradicionais existentes na região, promovendo a capitalização da terra. Paralelamente, a cobertura florestal, praticamente inexistente até a cota de 100 metros de suas encostas em meados do século XX, se regenerou a partir dos fragmentos florestais remanescentes, sendo que em 2020 o município possui florestas cobrindo praticamente 90% de seu território, principalmente na região da Juatinga, o palco dos principais casos de Acumulação por Espoliação ocorridos na região. Assim, latifúndios improdutivos resultantes da capitalização da terra e a vedação de uso devido a legislação ambiental que foi implantada no período permitiram a recuperação de grande parte da paisagem natural, além da proteção, conservação e recuperação do seu patrimônio histórico pelo IPHAN. Já a partir da abertura da Rodovia BR-101, trecho conhecido como Rio-Santos, no início da década de 70, houve a intensificação do turismo, proliferação de casas de veraneio e a expansão do vetor de expansão urbana, que passaram a se constituir os principais processos de alteração da paisagem do município.

PINAUD, Rodrigo Zambrotti. Uso de Cartografia Histórica e Imagens Aéreas na Caracterização da História Ambiental de Paraty, Brasil,

nos séculos XX e XXI. Universidad Nacional General Sarmiento. Área de Tecnologías de la Información Geográfica y Análisis Espacial - Instituto del Conurbano (UNGS). Atena Editora, 2021. 

Ficha técnica

Tipo: Capítulo de Livro

Área do conhecimento: Ciências Exatas e da Terra

 

Resumo: O município de Paraty possuiu seu apogeu econômico nos séculos XVII e XVIII, através do seu Caminho do Ouro e dos plantios de cana de açúcar do Café. Pouco descrito, o impacto ambiental desses ciclos levou a degradação de praticamente toda a cobertura florestal do município, da mesma forma que provocou severas marcas na paisagem, com as encostas de suas montanhas praticamente desflorestadas, em contraste com a grande, remanescente e cobiçada beleza cênica de suas praias, rios e remanescentes florestais. A partir da década de 60 do século XX, iniciativas do governo brasileiro impactaram o município de Paraty, principalmente com a construção do trecho da Rodovia BR-101, descortinando um litoral de extrema beleza cênica, com ocupação humana de extrema baixa densidade, que foi impactado pelo processo de “Acumulação por Espoliação” que vigorou na região através de agentes de capital privado internacional com o beneplácito do governo militar à época, alterando a dinâmica das populações tradicionais existentes na região, promovendo a capitalização da terra. Paralelamente, a cobertura florestal, praticamente inexistente até a cota de 100 metros de suas encostas em meados do século XX, se regenerou a partir dos fragmentos florestais remanescentes, sendo que em 2020 o município possui florestas cobrindo praticamente 90% de seu território, principalmente na região da Juatinga, o palco dos principais casos de Acumulação por Espoliação ocorridos na região. O uso de técnicas de Cartografia Histórica e comparação de imagens aéreas antigas com as atuais vem a contribuir na caracterização da paisagem histórica e as mudanças no uso e ocupação do solo no município de Paraty nos séculos XIX e XX, suas mudanças ao longo do tempo e pode fornecer subsídios para o planejamento do desenvolvimento urbano e modelos de preservação e conservação ambiental para a região.

SANTOS, Rafaela Marsico dos. "És tu Paraty amado": diálogos entre cultura, território e economia criativa. Universidade Federal

Fluminense (UFF). Instituto de Artes e Comunicação Social. 2021.

Ficha técnica

Tipo: Monografia

Área do conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

SANTOS, Lucas Pires dos. O ensino da história local em uma escola municipal na cidade de Paraty. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Departamento de História. 2020.

Ficha técnica

Tipo: Monografia

Área do conhecimento: Ciências Humanas

Resumo: A cidade de Paraty está localizada no litoral sul fluminense e possui uma grande importância para a historiografia brasileira, com rua e prédios muito antigos datados do período colonial, afinal era a cidade que fazia não só parte do Caminho do Ouro (caminho velho) como também era por onde escoava o ouro para a metrópole portuguesa. Nessa pesquisa problematizo como a cidade de Paraty lida com suas histórias dentro de sala de aula e se essa história abraça e integra outras comunidades fora do centro histórico, em específico no bairro de Barra Grande que se localiza em uma região de zona rural da cidade e afastado do centro. Esse trabalho apresenta a possibilidade do uso da história local como forma de implementar o projeto Cidade Educadora que tem como objetivo transformar a cidade em uma grande sala de aula com a participação latente de toda a comunidade com o fim de trazer identidade a cada região. Esse ponto é bem específico no primeiro capítulo onde debateremos o projeto e seus ideais, a história da cidade de Paraty e discutindo alguns conceitos como a importância do patrimônio para a comunidade e como aprender e ensinar através dele. No segundo capítulo é apresentado a importância da história local iniciar através da escola de uma forma orgânica, iniciando com a história da instituição escolar e atingindo a comunidade, logo é apresentada a região e os desafios que o pesquisador de história local supera ao iniciar a sua pesquisa de campo em busca dos documentos e afins e como isso reflete no profissional da educação e chegando ao terceiro capítulo onde abordamos a importância da história oral na falta de fontes documentais ao criar essa narrativa local e seu uso de forma pedagógica, tendo a possibilidade também de expor e ouvir a realidade da escola e seus professores com o tema.

SILVA, Iby Montenegro de.Ditadura, conflito e repressão no campo. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Programa de

Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) do Instituto de Ciências Humanas e Sociais

(ICHS). 2018.

Ficha técnica

Tipo: Artigo em livro

Área do conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

SILVA, Iby Montenegro de. Relatório Final da Comissão da Verdade do Estado do Rio de Janeiro. Universidade Federal Rural do Rio de

Janeiro e Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro. Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) do Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS) da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

(UFRRJ). 2015.

Ficha técnica

Tipo: Relatório final da Comissão da Verdade do Rio de Janeiro

Área do conhecimento: Ciências Humanas

 

Resumo: Este Relatório Final é resultado de dois anos e oito meses de trabalho da Comissão da Verdade do Rio. Ele foi entregue ao Governo do Estado do Rio de Janeiro e à sociedade civil em cerimônia no Palácio Guanabara, no dia 10 de dezembro de 2015. O documento está dividido em seis partes, englobando desde o contexto de criação das Comissões da Verdade até as recomendações ao Estado brasileiro de políticas de não-repetição de graves violações de direitos humanos, passando pela lista de mortos e desaparecidos do Rio de Janeiro, os casos investigados e a identificação de locais de prisão e tortura. Além disso, apresenta as pesquisas a respeito do empresariado e da violência aos trabalhadores rurais e urbanos, aos militares perseguidos, aos moradores de favela, à população negra, às mulheres e aos setores LGBT.

SILVEIRA, Paulo Fernando Pires da. A Cultura na trilha dos Guaianás: uma inspiração etnofotográfica no Caminho do Ouro. Universidade La Salle. Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Bens Culturais. 2020.

Ficha técnica

Tipo: Artigo

Área do conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

 

Resumo: Este ensaio fotográfico inspira-se na Etnofotografia proposta pelo arquiteto e fotógrafo italiano Sandro Spini. As fotos e o texto de abertura da chamada Trilha Guaianá, que compõe a chamada Estrada Real ou Caminho do Ouro. Percorrer Trilha Guaianá através de imagens permite explorar o imaginário das relações entre o passado e o presente das populações pré-colombianas e da colonização europeia e significa experimentar um percurso de ritmos e referências espaciais dissonantes com a experiência de vida moderna.

SILVEIRA, Paulo Fernando Pires da. Paraty: entre ciclos e lugares. Universidade La Salle. Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Bens Culturais. 2019.

Ficha técnica

Tipo: Artigo de opinião

Área do conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

 

Resumo: O presente artigo tem o objetivo de discutir o conceito de entre-lugar, utilizando-se da cidade de Paraty como lócus da pesquisa. Uma cidade de beleza peculiar, fundada no século XVI, reduto de índios Guaianás/Guaianases, que vivenciou ciclos de apogeu e um longo isolamento. Considerada pela UNESCO o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso do país. Os conceitos do entre-lugar tornam-se principalmente férteis para desenhar as fronteiras borradas entre o Centro Histórico, bairros e distritos de Paraty. E para esse trabalho dialoga-se principalmente com: BHABHA (1998) e HANCIAU (2012). A preservação de sua cultura e principalmente do seu patrimônio material e imaterial, onde o estrangeiro tem contato com o modo de vida dos paratienses, fazem surgir novos discursos e diferentes sujeitos. Desde os anos 1970 e após a construção da BR-101, no mesmo período, muitos migrantes chegam à cidade, o que faz alterar o seu perfil social e econômico, fazendo da cultura híbrida de Paraty um caminho de muitas possibilidades.

SILVEIRA, Paulo Fernando Pires da. PA_RA_TY isolada no Séc. XXI. Universidade La Salle. Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Bens Culturais. 2020.

Ficha técnica

Tipo: Artigo de opinião

Área do conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Resumo: O presente artigo tem o objetivo de discutir as relações entre identidade e comunidade nos tempos da pandemia de COVID-19 no mundo contemporâneo de lives, podcasts, e webnars. Metodologicamente, propõe-se a análise de uma breve narrativa fotográfica do autor e matérias compartilhadas em redes sociais como: Vai Paraty Noticias, Paraty em Rede e Paraty - Uma Foto Por Dia, que trazem além de belíssimas imagens, informações diárias sobre política, segurança, turismo, gastronomia e um panorama do isolamento social em todo o território de Paraty. Conceitualmente, o artigo apoia-se em Bauman (2003); Bezerra; Silva; Soares; Silva (2020), Goes; Ramos; Ferreira (2020), Hall (1997) e Harari (2017, 2018, 2020). A pesquisa justifica-se pela importância dada à dificuldade de algumas comunidades tradicionais e isoladas ao redor do Planeta em lidar / viver diante de uma crise pandêmica e também por ser um momento que o município, onde a principal economia é o turismo, começava a comemorar o reconhecimento mundial ao conquistar o tão almejado título de Patrimônio Mundial Cultural e Natural. Os resultados embora impermanentes evidenciam a dificuldade de relacionamento e entendimento da comunidade paratiense com as esferas governamentais.

VAZ, Amélio da Silva. SANTOS, Pamela Vaz Rodrigues dos. Vida Caiçara: istórias i causus di Mestri Améliu Vaz. 2017.

Ficha técnica

Tipo: Livro Autobiográfico

Área do conhecimento: Biografia e cultura caiçara paratiense